“Se agora tenho achado graça aos teus olhos, dá-me um sinal de que és tu que falas comigo.” Jz 6:

06/01/2014 17:21


Quem já teve a oportunidade de viajar e trafegar por um tempo sob forte neblina sabe dizer o quanto é difícil confiar que adiante não será surpreendido por um obstáculo qualquer e até passar por infortúnios. Na vida espiritual existem momentos semelhantes que nos limitam a dar um passo de cada vez, e muitas vezes na dúvida se não seremos surpreendidos. A bem da verdade uma vez que o evangelho entra no nosso coração e passamos a ter um pouco mais de comunhão com Deus começamos a discernir que vivemos em duas dimensões, a natural e a sobrenatural. Embora pareça que são distintas, na verdade uma está diretamente ligada à outra de forma interdependente. A ascensão ou o declínio em uma delas pode afetar diretamente a outra e determinar inclusive o nível de comunhão que viveremos. Melhor seria que nossa vida espiritual sempre estivesse estável, ascendente e inabalável, mas até o melhor dos homens acaba um dia por experimentar o fracasso. E pensando de uma forma prática podemos concluir que o fracasso também faz parte do sucesso, pois nenhum homem que viveu, vive ou viverá conseguirá chegar ao sucesso sem experimentar o fracasso e os infortúnios da vida. Gideão não estava nada feliz quando foi abordado pelo anjo, na verdade ele estava se sentindo um “nada”. Por certo ele conhecia a promessa, os feitos e o poder de Deus, mas mesmo sabendo que tudo era verdade, o momento que estava vivendo o colocava num lugar de incertezas. Não penso que Gideão era incrédulo, nem que seu coração estava endurecido, mas penso que seus olhos estavam sob a forte neblina da tribulação diária, e ele não conseguia ver, ninguém conseguiria. Quando estamos trafegando em situações de risco, vemos as placas indicando que devemos diminuir a velocidade, aumentar a atenção e ligar os faróis, uma providência preventiva. Diminuir velocidade e aumentar a atenção para não sermos surpreendidos e termos tempo suficiente para tomar decisões, e acender os faróis para iluminar o caminho à frente. Mas se as nuvens são pesadas demais, a densidade da neblina é muito grande convém ligar o pisca-alerta, sinalizando que há uma situação de perigo. Gideão pediu isso ao anjo “um sinal”, ele pediu ao anjo: Sinalize para mim qual o caminho a seguir. Não sei qual é a sua situação hoje, mas na dúvida diminua a velocidade, aumente a atenção, acenda os faróis e se ainda assim não conseguir discernir, melhor pedir ao anjo que sinalize o caminho para você. Que Deus te abençoe 

 

http://alegrianoamanhecer.blogspot.com.br